quinta-feira, 28 de maio de 2015

AS ANDORINHAS, poesia de Ilona Bastos

Video by Greg Peterson



As Andorinhas



Atenta, à janela,
de rosto sereno,
observa, a senhora,
o voo dos bandos
cruzando velozes
a brisa da tarde.


São crias
que aprendem,
diz ela, sorrindo,
a ser andorinhas
e a saber voar.


Erguendo o olhar,
acompanho a dança
dos pais e dos filhos
as asas batendo
até ao seu ninho.


É grande, a família,
comento, animada.
E a senhora acena -
Cada ano é maior! -
seus olhos luzindo
num abraço feliz.



Ilona Bastos