quinta-feira, 27 de setembro de 2012

O MEU POMAR, história de Cecília Meireles

Pintura do blogue Oil Painting


Se eu tivesse um pomar, um pequeno pomar que fosse, não lhe poria grades à roda, como os outros proprietários. Não poria, a guardá-lo, um desses cães enormes, rancorosos, que andam sempre rondando os pomares... 

O meu pomar seria assim: todo aberto, para todos. E, quando o outono chegasse e as árvores ficassem cheias de frutos amarelos e vermelhos, nenhum pobrezinho teria fome, nenhuma criança choraria de sede, passando pelo meu pomar...

E, no inverno, ainda haveria lá onde alguém se abrigasse, quando chovesse muito ou fizesse muito frio...

E se eu tivesse um pomar, ele estaria sempre em festa, cheio de borboletas e de pássaros...

Como eu seria feliz, se tivesse um pomar!


Cecília Meireles

Sem comentários: